4.12.07

Trabalhando com Projetos

A globalização, a Internet e o avanço científico e tecnológico impõem uma ampla reflexão sobre o relacionamento conhecedor/conhecimento envolvendo não apenas a natureza e quantidade das informações disponíveis mas, fundamentalmente, os processos de geração e a apropriação do conhecimento.

Reconhecendo as limitações dos métodos tradicionais de ensino e da estrura curricular, ainda fundamentada em moldes fordistas, que não acompanham a rapidez das transformações sociais, e considerando as revolucionárias contribuições das novas tecnologias da informação para a apropriação do conhecimento, tal reflexão levará, certamente, a uma mudança do eixo ensino-aprendizagem deslocando o aprendiz para o centro do processo. O aprendiz deve assumir a responsabilidade pela obtenção de seu próprio conhecimento.

Como mudança de paradigma, algumas propostas devem ser consideradas: projetos de ensino (métodos de projetos), projetos de trabalho (aprendizagem por projetos), projetos-web (webquest), etc:

Os Projetos de Trabalho (Veja a entrevista com Hernández) permitem ao educador ultrapassar os limites do ensino por simples transmissão de conhecimentos, transferindo a responsabilidade do processo de construção do saber ao próprio aluno. É o aluno que assume o controle sobre sua aprendizagem, ao professor cabe a função de coordenar e articular a interação entre teoria e prática, entre o projeto político pedagógico da escola e a perspectiva desenhada pelo aluno.

A aprendizagem por projetos é uma atualização do “método de projetos” formulado por William H. Kilpatrick (1918) a partir das idéias de John Dewey.

“O termo Projeto tem sido quase uma palavra de ordem, no cotidiano escolar, porém, temos percebido que falta um pouco mais de reflexão a respeito dessa metodologia de trabalho. Propomos neste artigo refletir sobre este tema tão difundido sobre essa organização curricular na escola. Associando a idéia de mudança da postura didático-metodológica, pretendemos assim articular a idéia de escola ao nosso mundo globalizado, na tentativa de proporcionar aos educadores (e estudantes) essa colaboração que possa auxiliá-los a esclarecer um pouco mais sobre o assunto...Não há um consenso único sobre projeto como método de ensino ou como estratégia pedagógica. Este assunto, assim como todos os assuntos que partem dos conhecimentos das humanidades estão e estarão em constantes reflexões e construções, pois nós também estamos sendo construídos como sujeitos sociais e históricos a cada segundo...” A Banalização Do Termo “Projeto” No Cotidiano Escolar: Clarisse Massa e Andréia Massa


"Com a difusão da transdisciplinaridade na Educação, o Método de Projetos vem se destacando como o que melhor responde aos requerimentos dessa visão. No entanto, o seu uso adequado requer um marco conceitual (re)significado pelo professor que adota tal método. Esse método divulgado no Brasil pela Escola Nova tem sido (re)interpretado e também utilizado por docentes que se pautam por outros referenciais, como, por exemplo, os da Pedagogia Crítica. Nesse ressurgimento do interesse por esse método, também se percebe a abordagem simplista que omite a teoria pedagógica que o acompanha, passando-se a direcioná-lo pelo senso comum o que leva à reprodução do sistema social." Pedagogia ou Método de Projetos? Akiko Santos

“... Os professores que trabalham com projetos usando computador e propõem projetos para os alunos executarem estão praticando o ensino por projetos, uma forma equivocada de achar que estão trabalhando com projetos de aprendizagem. Quando um professor elabora um projeto para ser executado pelos alunos este não pode ser considerado dos alunos, mas, sim, do professor...A aprendizagem por projetos deve ser uma oportunidade para que os alunos possam pensar e julgar por si, desenvolvendo o pensamento, a autonomia e a criatividade..." Aprender por Projetos, Formar Educadores: Pedro Ferreira de Andrade: Apresentação (ppt) ... Texto completo

“... Os projetos se constituem em planos de trabalho e em um conjunto de tarefas que podem proporcionar uma aprendizagem em tempo real e diversificada. Além de favorecer a construção da autonomia e da autodisciplina, o trabalho com projetos pode tornar o processo de aprendizagem mais dinâmico, significativo e interessante para o aprendiz, deixando de existir a imposição dos conteúdos de maneira autoritária. A partir da escolha de um tema, o aprendiz realiza pesquisas, investiga, registra dados, formula hipóteses, tornando-se sujeito do seu próprio conhecimento...” Pedagogia de Projetos: Jacqueline D. Simões

“Os Projetos de Trabalho contribuem para uma (re)significação dos espaços de aprendizagem de tal forma que eles se voltem para a formação de sujeitos ativos, reflexivos, atuantes e participantes. (Hernandez, 1998)" Pedagogia de Projetos







Os projetos desenvolvidos pelos alunos na busca e construção do conhecimento pressupõem metodologias específicas: perguntas, observações, hipóteses, verificações experimentais e deduções para alcançar a solução dos problemas e dos questionamentos. Veja a postagem: método científico








WebQuest










O que é WebQuest?

WebQuest é uma metodologia de pesquisa na Internet, voltada para o processo educacional, estimulando a pesquisa e o pensamento crítico. É um modelo extremamente simples e rico para dimensionar usos educacionais da Web, com fundamento em aprendizagem cooperativa e processos investigativos na construção do saber, engajando os alunos e os professores num uso da Internet voltado para o processo educacional, estimulando a pesquisa, o pensamento crítico, o desenvolvimento dos professores, a produção de materiais e o pensamento crítico e protagonismo juvenis.

Como iniciar uma WebQuest?

Navegar na Internet pode ser um valioso processo de busca de informações na construção do conhecimento, gerando um rico ambiente interativo facilitador e motivador de aprendizagem, bem como pode ser um dispersivo e inútil coletador de dados sem relevância que não agregam qualidade pedagógica ao uso da rede.
Uma WebQuest parte da definição de um tema e objetivos por parte do professor, uma pesquisa inicial oferecendo uma variedade de links selecionados acerca do assunto, para consulta orientada dos alunos. Estes devem ter uma tarefa, exeqüível e interessante, que norteie a pesquisa. Para o trabalho em grupos, os alunos devem assumir papéis diferentes, como o de especialistas, visando gerar trocas entre eles. Tanto o material inicial como os resultados devem ser publicados na Web, online.

Que softwares devemos usar na criação de um WebQuest?

WebQuest não exige software específicos além dos utilizados comumente para navegar na rede, produzir páginas, textos e imagens. Isso faz com que seja muito fácil usar a capacidade instalada em cada escola, sem restrição de plataforma ou soluções, centrando a produção de WebQuests na metodologia pedagógica e na formação de docentes.

Duração

Uma webquest pode ser definida como sendo de curto prazo (até uma semana) ou de longo prazo (de uma semana até um mês ou mais).

Com a WEBQUEST, trabalha-se em forma de projetos de pesquisa, utilizando a idéia de aprendizagem colaborativa. É um espaço na WEB que irá facilitar e enriquecer o uso da Internet por professores e alunos.

Por que optar pela metodologia da WebQuest?

Nos últimos anos, uma das preocupações que tem nos despertado tem sido a baixa qualidade dos trabalhos acadêmicos, principalmente no que se refere a pesquisas realizadas na Internet, pesquisas são realizadas desprovidas de apoio e suporte dos educadores, onde a prática do “copiar-colar” acontece sem nenhuma leitura previa.

Percebemos que a Webquest desenvolve métodos eficientes para introduzir os alunos a utilizarem as novas tecnologias como ferramenta de maneira a assegurar a aprendizagem intimamente associada ao currículo, fornecendo modelos para associar pesquisa na web e resultado de aprendizagem de uma forma prática e confiável.

Vantagens da WebQuest:

As vantagens da WebQuest tem a ver com o fato de poder adaptá-la a uma grande variedade de ambientes de tecnologias e a muitas áreas diferentes de currículos, além de sistematizar a pesquisa na web, ambiente que pode dispersar o aluno.

Quais os elementos básicos de um Webquest?

Os elementos básicos de um WebQuest são:

• Uma introdução, que fornece informações básicas para despertar o interesse dos alunos pela tarefa;

• Uma tarefa interessante;

• Processo (ou etapas) a ser desenvolvido para completar a tarefa;

• Os recursos a serem utilizados são basicamente da Internet, mas outros dados, como informações obtidas em bibliotecas, podem sem incluídas;

• Orientação e organização de informação e conclusão da tarefa:

• Conclusão (o que foi aprendido com sugestões para mais aprendizagem);

• Autores

• Referências Bibliografias

As WebQuests fornecem a aprendizagem ativa em que o objetivo é a aquisição e integração do conhecimento. Através das atividades nas WebQuest o aluno lidará com uma quantidade significativa de novas informações, interpretando-as por síntese e análise e finalmente, transformando-as em conhecimentos.

WebQuests tornam-se atraentes quando se pode compartilhar entre professores, são atualizadas constantemente e pode ser usada de um ano para outro, o tempo não irá interferir nas atividades oferecidas pelos educadores.

Objetivos da Webquest:

• Modernizar modos de fazer educação;

• Garantir acesso a informações autênticas e atualizadas;

• Promover aprendizagem cooperativa;

• Desenvolver habilidades cognitivas;

• Transformar ativamente informações (em vez de apenas reproduzi-las);
• Incentivar criatividade;

• Favorecer o trabalho de autoria dos professores;

• Favorecer o compartilhar de saberes pedagógicos;

• Analisar os novos desafios com os quais se defrontará o trabalho do professor com a utilização das novas tecnologias;
• Investigar novas estratégias na utilização dos recursos oferecidos pela www no meio educacional;

• Analisar novas modalidades de ação e intervenção, em termos de participação nas consultas a diversos níveis: Fórum de discussão, lista de discussão, correio eletrônicos, chats etc.;
• Propor modalidade de intervenção, via a tentativa de criar um espaço de aprendizagem colaborativa entre os alunos no seu cotidiano;

• Promover a formação de recursos humanos e geração de conhecimentos, considerando que vários estudantes participarão ativamente da pesquisa;

• Promover os educandos a tornarem-se aprendizes ativos, solucionadores de problemas, pesquisadores e projetistas;

• Apresentar projetos utilizando a Internet, onde os alunos são responsáveis pela construção do conhecimento;

• Analisar dados num maior número de sites envolvendo os alunos eletronicamente, emitindo uma pesquisa, coletando respostas, analisando resultados, finalizando com a socialização dos resultados;

• Compartilhar observações e experiências vivenciadas por outros alunos que utilizam a Internet como ferramenta didática em suas pesquisas, experimentando o poder da multimídia da www.

Maria Aparecida Viana é coordenadora do Serviço de Informática Educacional, mestranda em Educação Brasileira pela Universidade Federal de Alagoas, professora de Novas Tecnologia no Curso de Pós - Graduação da Fundação Jayme de Altavilla – FEJAL


"WebQuest é uma atividade de aprendizagem que aproveita a imensa riqueza de informações que, dia a dia, cresce na Web. O conceito criado por Bernie Dodge como proposta metodológica para usar a Internet de forma criativa define "Webquest" como uma atividade investigativa com informações provenientes da Internet". Consulte os sites abaixo para saber mais. O que é WebQuest?

"Planejar / Formatar / Publicar: 1- Defina o tema. 2- Selecione as fontes de informação. 3- Delineie a Tarefa. 4- Estruture o Processo. 5- Escreva a Introdução. 6- Escreva a Conclusão. 7- Insira o conteúdo no gabarito. 8- Faça os acertos finais. 9- Publique a webquest". Como elaborar uma WebQuest?

Links


TEMAS E LINKS RELACIONADOS

"Benjamin Bloom identificou seis diferentes graus de complexidade cognitiva que tem sido usados nas últimas quatro décadas para estimular e desenvolver estudantes na habilidade de pensar". Taxonomia dos objetivos educacionais

Metodologia da pesquisa científica: Nance Beyer Nardi: Como fazer pesquisa?
”Por que escrever um relatório ou um resumo? O que considerar ao planejar um relatório ou um resumo? Como escrever um relatório? Como escrever um resumo? Lembrar de fazer... Lembrar de não fazer...”. Nance Beyer Nardi: Elaboração de relatórios e resumos científicos

”Metodologia do Trabalho Científico. Diretrizes para elaboração de projetos de pesquisa, monografias, dissertações, teses.” Cassandra Ribeiro O. Silva, Dr.Eng.: Diretrizes para a elaboração de projetos de pesquisa


Textos / Artigos / Elaboração de Projetos
Projetos de ensino e de trabalho .... Tecnologia de projetos.....PhpWebQuest (Projetos)
Microsoft Educaçional (projeto do professor)
Orientações para a elaboração do Projeto 2009 - Centro de Multimeios: Gov. Ceará
Elaboração de Projetos: UFSC

17 comentários:

Vicente disse...

Comentário em edição anterior da postagem:
Maria Clarete disse...
Trabalhar projeto e muito interessante,pois o aluno cria,o professor è so um mediador,o aluno consegue liberar suas ideias criando os mais incriveis projetos.

Marionete e Saúde disse...

Olá
Estou aqui lendo este blog e adorando este trabalho através dos projetos. No meu trabalho desenvolvo um projeto internacional com marionetes na educação e na saúde e apresento no Blog LIVRO ANIMADO - LIVRO ENCANTADO.
Espero sua visita no Blog que agora está com muitas novidades: você poderá tomar conhecimento dos princípios de base que norteiam o trabalho dos contos com marionetes nas diversas áreas, seu desenvolvimento, as técnicas utilizadas e os domínios de aplicação desta arte. http://marionetesaude.blogspot.com.
Um abraço Bete EGB

Márcia disse...

Vicente.

Também concordo, o projeto é interessante e muito bem elaborado. Visito hoje o seu espaço para desejar BOAS FESTAS e um 2008 repleto de ótimas surpresas e grandes realizações.

Amor, respeito, educação... e paz... é tudo o que a gente precisa.

Abraços.

Sala Dos Professores disse...

Colegas, para discutir estes e outros assuntos relacionados com a educação e com os professores, visitem a Sala dos Professores em www.saladosprofessores.com!
Já somos mais de 12.000 professores registados e a participar activamente no fórum! Juntem-se a nós e registem-se! Quantos mais formos mais alto se ouvirá a nossa voz da razão!

Raul Martins disse...

POR UM MUNDO MELHOR foi nomeado, novamente, por outro Blog amigo: ANABELA MAGALHÃES. Isto não se pode tornar uma rotina mas que dá jeito, sobretudo para nomear mais alguns blogs amigos, lá isso dá. Assim, continuamos esta "redeteia", cumprindo as regras.

Pela Blogosfera decorre uma iniciativa com a finalidade de homenagear blogs amigos que nos visitam ou visitamos e que, de alguma forma, possuem afinidades connosco.

1- Este prémio deve ser atribuído aos blogs que gostamos e visitamos regularmente, postando comentários;
2- Ao receber o selo "é um blog bom sim senhora!!" devemos escrever um post incluindo: o nome de quem nos deu o prémio com o respectivo link de acesso + a tag do prémio + a indicação de outros 7 blogs;
3- A tag do prémio deve ser exibida no blog.


Assim, POR UM MUNDO MELHOR, declara que os BLOGS (por ordem alfabética) que visita regularmente e nos quais comenta, entre outros que igualmente visita e comenta e lamenta não nomear, são:

Porque é um espaço de "afectos" que também luta "por um mundo melhor":

SLETRAS

Porque é um "ar fresco" onde me divirto com a simplicidade e rio desalmadamente:

BESBERTUCHARRUA´S

Porque é um espaço onde jovens alunos partilham os seus trabalhos:

TURBÊTURMA

Porque é um excelente blog em defesa do ambiente:

ONDAS3

Porque hoje faz anos e não só...:

LIVRE DO PONTO

Porque quero homenagear um jovem "apaixonado" por borboletas e pela natureza:

KIKO-BORBOLETAS

Porque tem excelentes recursos pedagógicos:

OFICINA DE RECURSOS

Gládis Leal dos Santos disse...

Olá Vicente,

Este blog recebeu o selo da Campanha da Amizade. Confira em meu blog.

Abraços
Gládis

Almeida's disse...

Parabéns!
Vicente o seu blog é muito bom. Apresenta uma abordagem excelente.

Roosevelt disse...

Vicente, bom dia estive visitando seu blog e gostei bastante do conteúdo de educação, pois trabalho na educação municipal do municipio que moro Araci-ba. tenho um blog e queiria dinamizar estou pedindo ajuda sua para emclementar meu blog.

ruze2@hotmail.com
ruze123@yahoo.com.br
ruze123.blogspot.com

Fabiano Franz disse...

Olá! Gostaria de deixar uma sugestão de site muito interessante: literar.org é um site para produção literária onde qualquer um pode ser um autor. Aproveite!

Odete disse...

Olá! Boa tarde. Sou voluntária em um Projeto de alfabetização para jovens e adultos em minha cidade e gotsraia de umas dicas para desenvolver planos de aula. Agradeço desde de já e parabéns pelo trabalho de vocês.

Gustavo Garotti Scandiuzzi disse...

Olá amigos, vem aí a 2ª Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB). As inscrições acontecem de 1 de junho a 6 de agosto.
A Olimpíada, composta por cinco fases online e uma presencial, é destinada a estudantes do 8º e 9º anos do ensino fundamental e demais séries do ensino médio, de escolas públicas e privadas de todo o Brasil.
Para orientar a equipe, formada por três estudantes, é obrigatória a participação de um professor de história.
A Olimpíada começa no dia 19 de agosto, dia nacional do historiador, data que celebra o nascimento e o centenário da morte do jornalista e historiador Joaquim Nabuco.
A iniciativa é do Museu Exploratório de Ciências da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Em 2009, a ONHB inscreveu mais de 15 mil participantes e reuniu cerca de 2 mil pessoas na final presencial.
Mais informações acesse o site “www.mc.unicamp.br”

kellynay disse...

Trabalhar com projetos é interesantissimo e essencial, pois uma das maiores preocupações hoje nas salas de aulas é a interatividade, e quando fazemos projetos os alunos se envolvem mais e que oportuniza um maior aprendizado!!!

Anônimo disse...

Edjane: Olá, Vicente!
Seu blog está muito bom. Bastante rico em orientações para o professor desenvolver projetos de sucesso com seus alunos. É um blog muito atrativo. Odesejo é de continuar clicando e avançando.
Parabéns!

Escola M. Joaquim Alves Cardoso disse...

Projeto: Educação e Cultura Quilombola na Comunidade
Desde 2008
Olá Sou Coordenador da Escola Municipal Joaquim Alves Cardoso escolamjac.blogspot.com Localizada na Comunidade Quilombola Borá Município de Brasília de Minas – MG e idealizador do Grupo de Apoio a Cultura Quilombola e Seus Remanescentes, apoioquilombola.blogspot.com
Estaremos realizando o II Seminário Antropológico de Cultura Quilombola e Seus Remanescentes: Tema Educação e Saúde na Comunidade Quilombola Borá.
Data: 04/06/2011
Local: Escola Municipal Joaquim Alves Cardoso, Comunidade Quilombola Borá, Município de Brasília de Minas – MG.
Contato marcosvloso@hotmail.com marcosvloso@yahoo.com.br
Apoio:
Secretaria Municipal de Educação
Curso Técnico em Enfermagem
CEDUC
Emater Brasília de Minas – Minas Gerais
Verdeminas
Assistência Social Judicial Comarca de Brasília de Minas – MG
Grupo de Estudos e Pesquisas em Cultura, Processos Sociais, Sertão grupoecpss.blogspot.com
CEO (Centro de Especialidades Odontológicas)
Emater Brasília de Minas – Minas Gerais
Verdeminas
Pastoral da Criança Paróquia Sant’Ana - Brasília de Minas - MG

Paty Fonte disse...

Excelente postagem! :)
Conheça também o nosso site - pioneiro no trabalho com a Pedagogia de Projetos:
http://www.projetospedagogicosdinamicos.com
Fraterno abraço!

Assessoria de Imprensa ONHB disse...

Atenção alunos e professores de História:

Começaram as inscrições para a 6ª Olimpíada Nacional em História do Brasil!

Alunos do Oitavo ano do Fundamental até o Terceiro ano do Ensino Médio já podem se inscrever para mais uma edição da nossa Olimpíada!

Equipes de 4 integrantes, sendo compostas pelo professor de história da escola e 3 alunos, encaram desafios semanais nas 4 fases online e se preparam intensamente para a Grande Final presencial, em Campinas/SP.
As inscrições podem ser feitas a partir deste link, onde também consta o Regulamento Oficial:

http://www.olimpiadadehistoria.com.br/6-olimpiada/regulamento/index


Sobre a ONHB:

Nossa Olimpíada é realizada desde 2009 pela UNICAMP, com o apoio do CNPQ/MEC/MCT. Milhares de estudantes e professores de todos os estados brasileiros se reúnem para responder questões que proporcionam uma reflexão sobre a construção da nossa sociedade. A construção do método histórico, sua aplicação e desenvolvimento compõem cerne do desafios semanais, estimulando nossos participantes a experimentar esse processo de investigação.
Lembrem-se: as inscrições vão até 20 de abril!

automacao email marketing disse...

Muito bom !